QR Code nas calçadas do Rio

A Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura do Rio de Janeiro instalou 2 QR codes no bairro do Arpoador, na Zona Sul da cidade. A curiosidade é que os QR codes foram inscritos nas tradicionais calçadas de pedras portuguesas.

Quem tiver um telefone celular com um programa para leitura de QR Codes poderá usar os signos gravados nas calçadas como porta de entrada para informações armazenadas na Internet.

O problema de usar o chão como ‘suporte’ é que ele está sujeito a modificações, seja pela falta de manutenção ou por mero uso.

Com menos de uma semana de uso, a combinação do vento forte com a areia da praia tornou temporariamente o QR Code ilegível:


“Terra e areia impedem leitura de QR Code em calçada do Rio”


QR Code na calçada do Arpoador, coberto de areia

Foto: Mauro Pimentel / Terra

O pior mesmo vai ser quando precisarem fazer alguma obra. No Rio são muitos os serviços que usam o subsolo. Luz, água, telefone, gás, TV a cabo…são redes e redes se cruzando sob a terra. Não é raro ser necessário fazer reparos, e as calçadas são esburacadas a vontade. Na hora de fechar o buraco e repor o piso, a falta de cuidado de nossa mão-de-obra sem qualquer formação é evidente, e as calçadas da cidade maravilhosa ocupam a segunda posição entre as piores de todo o país (veja matéria do Jornal Nacional). Basta ver como um dos ícones visuais da cidade, o calçadão de Copacabana, está completamente desfigurado em alguns trechos.

Vamos ver quanto tempo vai durar o QR Code.

‘Smart Highway’

Smart Highway are interactive and sustainable roads of today. Designer Daan Roosegaarde and Heijmans Infrastructure are developing new designs and technologies for this Route 66 of the future.

New designs include the ‘Glow-in-the-Dark Road’, ‘Dynamic Paint’, ‘Interactive Light’, ‘Induction Priority Lane’ and ‘Wind Light’. The goal is to make roads which are more sustainable and interactive by using light, energy and road signs that automatically adapt to the traffic situation.

Awarded with a Best Future Concept by the Dutch Design Awards 2012 the first meters Smart Highway will be realized mid 2013 in the Netherlands.

The collaboration between Roosegaarde and Heijmans is a true example of innovative industries. The design and interactivity from Studio Roosegaarde and the craftsmanship of Heijmans are fused into one common goal: innovation of the Dutch landscape.

Specifications:
2012-2015. Smart paints, energy harvesting, sensors and other media. Concept and Design at Studio Roosegaarde with the engineers from Heijmans.

Client:
Co-production with Heijmans N.V

Fonte: Studio Roosegaarde

LIFX: Lâmpada inteligente

E se você tivesse uma lâmpada que duresse 25 anos, pudesse mudar de cor e intensidade luminosa por controle remoto (seu telefone celular), ou ainda fazer essas coisas todas de forma pré-programada? Vai viajar e tem medo que percebam a falta de movimentação na casa? Programe a rotina das lâmpadas! Elas acendem na hora que você quiser.

Essa é a proposta da LIFX, que os autores dizerm ser a reinvenção da lâmpada incandescente.

Parece coisa do futuro, mas é um futuro MUITO próximo. O projeto está em desenvolvimento, buscando apoio através do Kickstarter.

A iluminação é feita por LEDs RGB, que podem durar 25 anos. E o consumo de energia é muito inferior ao das lâmpadas incandescentes, e memso das lâmpadas frias econômicas.

A computação ubíqua está aí. Nos objetos mais corriqueiros. Até em uma lâmpada ordinária.

Interaction Cubes

Projeto bem interessante desenvolvido para o Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), no Rio de Janeiro.

A partir de elementos ordinários como cubos de acrílico (usados normalmente como porta-retratos), uma webcam, um monitor e um programa de leitura de QR-Code, foi possível montar uma “tabela periódica interativa”.

O que mais me encantou nesse projeto foi justamente a possibilidade de interação “física” com a tabela. Uma solução semelhante poderia ter sido desenvolvida em Flash, por exemplo, gerando uma interface para manipulação direta no computador, ou via web, sem qualquer aparato além dos conhecidos mouse/teclado. Mas o charme do projeto é justamente essa possibilidade de interagir com a tabela, manipular os blocos, os elementos são tangíveis. Ao mesmo tempo, há uma interface computacional para acesso ao acervo de vídeos, mas de maneira simples, transparente. A computação esta lá, mas sem aquela interface do tipo ‘desktop’.

Com a interação física, as posições dos elementos da tabela ficam mais evidentes. O corpo inteiro se move para pegar um bloco mais ao alto e a direita. Na tela do computador, só os dedos se movem, arrastando o mouse. A interface física fornece mais informação ao corpo.

Parabéns a equipe responsável pelo projeto: Mariana Duprat, Diego Queres, Fábio Castro Gouveia, Lucas Brazil Sousa, Paula Barja, Priscila Freire, Rita Alcantara, Sílvio Bento, Ana Maria Palma, Catarina Chagas, Diego Vaz Bevilaqua, Marina Ramalho, Carolina Senra, Diego Vaz Bevilaqua, Renan Alves.

Em tempo: o projeto concorre ao prêmio Interaction Awards, vale conferir e dar uma força.

Fritzing

Uma ferramenta interessante pra quem quer desenvolver projetos em Arduino é o Fritzing. Serve pra documentar a montagem dos componentes. A interface simula uma protoboard, na qual os componentes podem ser colocados, manipulados facilmente, como se fora uma protoboard “real”. A partir dessa montagem, o programa gera também os esquemas, o que facilita muito a documentação do projeto (especialmente pra quem não é familiarizado com essa forma de “escrever”). É muito intuitivo e fácil de usar.

O projeto originalmente foi desenvolvido por pesquisadores do Interaction Design Lab da University of Applied Sciences Potsdam, Alemanha. Ele é opensource, contando com participação de entusiastas.

Esse vídeo dá uma visão geral do funcionamento do programa:

RepRap – 3D printer

RepRap is a free desktop 3D printer capable of printing plastic objects. Since many parts of RepRap are made from plastic and RepRap can print those parts, RepRap is a self-replicating machine – one that anyone can build given time and materials. It also means that – if you’ve got a RepRap – you can print lots of useful stuff, and you can print another RepRap for a friend…

RepRap.org

RepRap from Adrian Bowyer on Vimeo.